Infertilidade Sem Causa Aparente (ISCA)

Infertilidade Sem Causa Aparente (ISCA)

Cerca de 10% dos casais não apresentam causa aparente de infertilidade, mesmo após serem submetidos a rigorosos exames investigativos. Assim, não se considera a infertilidade sem causa aparente como relacionado ao indivíduo, mas ao casal como unidade.

Antes do diagnóstico de ISCA sem causa ser dado, porém, é necessário excluir todas as outras possíveis causas de infertilidade possíveis, através de exames como o espermograma e ultrassom transvaginal.

É importante ressaltar que o recebimento de um diagnóstico de ISCA não significa que o casal ou paciente estão impossibilitados de engravidar. Pelo contrário, nesses casos o que se indica é começar diretamente com os tratamentos de reprodução assistida, escolhendo a técnica que melhor venha a se encaixar com a idade da mulher e o tempo que as dificuldades de concepção vem se apresentando.

Para casais ou pacientes individuais que estão no auge da idade fértil, uma mudança de hábitos de alimentação e comportamento, somado a técnicas de menor complexidade como a estimulação ovariana podem ser o suficiente para se obter a gestação. Já nos casos em que a paciente se encontra em idade avançada ou não apresenta uma resposta positiva aos tratamentos mais simples, indica-se então técnicas como a inseminação intrauterina e fertilização in vitro.