Útero de Substituição

Útero de Substituição

Útero de substituição ou cessão temporária de útero é o nome dado a prática em que o útero de uma terceira pessoa, necessariamente relacionada ao casal, é utilizado para a implantação dos pré-embriões gerados por FIV ou ICSI com os gametas dos pais biológicos.

Essa técnica é indicada quando a paciente sofre com a ausência de útero próprio, ou possua alguma disfunção que impossibilite a implantação do embrião, e subsequentemente o desenvolvimento de uma gestação. A cessão temporária de útero também pode ser indicada em casos em que a gestação coloque em risco a vida da mãe biológica.

Podem ser usadas como receptoras parentes de até 2º grau do casal, como irmãs, primas, mãe, tias ou cunhadas. Se a doadora de útero for casada ou estiver em uma união estável, seu companheiro deverá apresentar sua concessão ao procedimento por escrito.

Tendo a receptora escolhida, o casal irá gerar os embriões a serem implantados através da fertilização in vitro, e estes após a maturação serão transferidos útero da receptora, que fará a gestação do bebê de forma natural.

As taxas de sucesso nas gestações por útero de substituição são semelhantes às observadas nos procedimentos de fertilização in vitro e inseminação artificial.