Técnicas de Reprodução Assistida

Tratamentos de Reprodução Humana

Os tratamentos de reprodução humana tratam da dificuldade individual ou do casal em ter filhos pelas vias normais, através da sexualidade. Assim, após diagnóstico dos fatores envolvidos e da causa, as técnicas de tratamento, podem ser desde correções médico-cirúrgicas até a Reprodução Assistida, com cuidados na obtenção e tratamento dos gametas (espermatozoides e óvulos) ate a geração e implantação de embriões que viabilizem a gestação.

No entanto, se existe causa definida de infertilidade individual ou o casal já esta tentando há mais tempo, antes de tratamento se impõem a avaliação de ambos e considera-se que o avanço da idade feminina (> 35 anos) e o tempo sem engravidar (> 1 ano) pioram o prognóstico reprodutivo.

Tratamentos de Reprodução Humana possíveis

Nos casos mais simples, o Médico poderá propor a relação sexual programada e a Indução da Ovulação com medicamentos usados sob controles clinico, ultrassonografico e laboratorial, com chances de restituir os 20% de probabilidade mensais.

A Inseminação Artificial é uma técnica antiga que consiste em preparar artificialmente o sêmem no laboratório no dia em que a Mulher esteja ovulando, sob ações de medicamentos controlados; e depositá-lo intrauterino para alcançar maior concentração de espermatozoides móveis nas tubas, onde deve ocorrer a fecundação dos óvulos. Esta técnica restringe-se a homens que produzam quantidade mínima adequada de espermatozoides, com morfologia normal e cuja motilidade possa ser recuperada.

E para Mulheres cujas tubas estejam funcionando para ajudar o transporte e fertilização dos óvulos, e portanto ovários que respondem a Indução da Ovulação. Ainda assim, os resultados pouco passam das porcentagens de um casal normal (18 a 25%), devido as restrições para que ocorra no máximo 3 óvulos disponíveis pela estimulação dos ovários, sem que ocorram internamente (In Vivo) a fertilização e implantação incontrolável de inúmeros embriões, gerando gestações múltiplas.

Após casos sem sucesso por três a seis ciclos de Inseminação e Indução da ovulação estão indicadas Técnicas de Reprodução Assistida (T.R.A), como Fertilização In Vitro.

Também estão indicadas T.R.A. em casos:

  • com alterações das funções erétil e ejaculatória, ou na produção ou de espermatozoides (nº, motilidade, morfologia e danos estruturais),
  • distúrbios na função ovariana ou produção de óvulos (numero e qualidade),
  • nas disfunções das tubas,
  • alterações na receptividade uterina dos embriões,
  • necessidade de tratamento de alterações genéticas nos espermatozoides, óvulos e embriões ou risco de infecções congênitas.
  • Pacientes com necessidade médica de adiarem a gestação com impossibilidade ou risco reprodutivo, como em Doenças graves com prognóstico de cura ou controle (Cancer, Insuficiência renal, diabetes, cardiopatias, etc),
  • preservação da Fertilidade Individual em situações profissionais, sociais e conjugais desfavoráveis.

Nas T.R.A. as chances de resultados são variáveis desde causas muito graves ou múltiplas associadas com pior prognóstico; até causas individuais isoladas que obtém ótimos resultados em cada tentativa. Há variações por ciclos de tentativas, que costumam ser cumulativamente de melhor probabilidade de êxito gestacional. Mas também ocorrem restrições nas probabilidades de acordo com o numero e qualidade de embriões transferidos.

Diretor técnico do Centro de Reprodução Humana Wagner Busato, em São Paulo. Formado em ginecologia e obstetrícia, é especialista em Ultrassonografia, Histeroscopia e Laparoscopia.

Deixe seu Comentário

Artigos Relacionados

Ver todos os Posts